Segundo relatos, somente por volta de 1823 chegou colonizadores a região do atual Município de Jerônimo Monteiro, que chamaram na época de Cachoeira das Flores. Em Jerônimo Monteiro ficaram cerca de seis pessoas. Enfrentando as matas, o grupo subiu o Ribeirão da Vala do Souza até o atual bairro de Parada Cristal. O vilarejo de Cachoeira das Flores com o passar do tempo teve outros nomes como Cristal, Wanderley, Sabino Pessoa. Até 1943 a localidade teve 02 (dois) nomes, Sabino Pessoa (o atual Centro da cidade) e Vala do Souza (atual Bairro de Parada Cristal), nome reconhecido mais tarde pela Estrada de Ferro Caravelas, construída em 1887.

Logo depois da proclamação da República foi criado o Distrito Judiciário de Vala Souza, pela Lei Municipal n. 011, de 11 de janeiro de 1895, do Município de Alegre, e reconhecida pela Lei Estadual n. 715, de 05 de dezembro de 1910. Por aquela época a Leopoldina assumiu a Estrada de Ferro Caravelas e inaugurou 02 (dois) quilômetros da Estação de Vala do Souza, a Estação de Sabino Pessoa (ao lado da atual agência do BANESTES de Jerônimo Monteiro), em homenagem ao Engenheiro que construiu aquele trecho da estrada de ferro. O povoado permaneceu com dois nomes, Vala do Souza e Sabino Pessoa, até se tornar Vila de Vala do Souza.

No início da década de 1940, começou a ser idealizado e a ganhar força no distrito de Vala do Souza, um movimento popular que defendia a emancipação política e administrativa desse Distrito do Município de Alegre, sob a alegação do abandono em que vivia a comunidade local por parte do poder público municipal.

Esse movimento surge no seio da União dos Lavradores de Vala do Souza, entidade associativista que reunia agricultores, comerciantes e profissionais liberais do distrito de Vala do Souza e de Rive.

Mesmo com toda oposição dos principais líderes políticos do Município de Alegre, a população do distrito de Vala do Souza, graças a sua união em torno de um ideal comum, conseguiu que a Assembléia Legislativa do Estado se pronunciasse favorável a criação do Município de Vala do Souza, através da Lei nº. 777/53 de 29 de dezembro de 1953.

Imediatamente o Município de Alegre, contestou todo processo emancipatório, tanto por vias legislativas, quanto por vias judiciais o que levou a suspensão do processo que se arrastou por longos 05 (cinco) anos até a decisão final do Supremo Tribunal Federal (STF), em meados de 1958, que considerou o processo e as aspirações da comunidade totalmente legal, sem nenhum vício jurídico e em conformidade com a legislação vigente no País.

Diante da decisão favorável do Supremo Tribunal Federal, dando fim a 05 (cinco) anos de muitas disputas políticas e judiciais, no dia 28 de novembro de 1958, a Assembléia Legislativa do Estado do Espírito Santo, aprova a Lei Estadual nº. 1.416, que transforma em Município o Distrito de Vala do Souza, que recebe a denominação atual de Jerônimo Monteiro, em homenagem ao ilustre Ex-governador do Estado. A mudança da denominação foi uma homenagem ao dinâmico governador Jerônimo de Souza Monteiro que administrou o Estado do Espírito Santo de 1908 a 1912, e que junto com a sua família controlou a política estadual até meados da década passada.

Galeria de Fotos